Pages

sábado, 4 de fevereiro de 2012

O herói que voou

Demonstrar emoção não é apenas através de lágrimas e cenas de drama em meio ao público. 
Durante anos, quase 18 anos mais precisamente, aprendi tanta coisa, errei por tantas vezes tentando as aprender e por vezes pensei em desistir, mas não conseguia, pois uma força maior, bem maior e mais forte me impedia. 
Aprender a nadar não é nada complicado quando se está em situação de perigo. "Lhe jogo na água, de preferência no lugar que não dê pé, e de lá você irá dar uma volta inteira em volta do lago..." Está vendo só, foi fácil... Apesar de alguns litros d'água engolidos. 
A questão de experimentar gostos diferentes sem nem ter um pingo de vontade... "Pois experimente, irá gostar e mesmo se não gostar, deve comer, faz bem!"
Foram momentos que aos poucos sumiram diante dos olhos cheios de lágrimas. Os anos passaram tão devagar que é impossível cair no presente achando que ainda há resíduos do passado... E ao futuro? Serão apenas lembranças. Mas tudo isso parece ilusório, apenas mais um daqueles sonhos que luta contra o acordar e não consegue, aquele que não tem forças, nem a voz tem poder. 
É complicado escrever quando não se sabe a real o que está sentindo, nem mesmo quando não se acredita no que está acontecendo.
Herói que é herói não voa pra sempre, não por muito tempo. Mas se não voa, por que não consigo mais lhe ver aqui, imortal, ensinando a nadar... 

Talvez devo fechar esse texto sem pé nem cabeça resumindo tudo com um... Eu te amo! Porém essas três palavras parecem poucas, parecem não, são poucas diante daquilo que sempre senti por ti... Herói.



1 comentários:

Aline disse...

)):

Postar um comentário

 

Blog Template by YummyLolly.com